Augusto Abelaira (Portugal: Ançã 1926 – Lisboa 2003)
As Boas Intenções (1963)
Prémio Ricardo Malheiros da Academia de Ciências de Lisboa 1964
Género: Romance

Augusto Abelaira, escritor português, natural de Ançã, licenciou-se em Ciências Histórico-Filosóficas, na Universidade de Lisboa. Para além de escritor, destacou-se no jornalismo. Opositor do Estado Novo [regime autoritário de direita conservadora 1933-1974, que teve como principal figura, o seu presidente de Conselho de Ministros, António de Oliveira Salazar], foi detido em 1965, por ter sido presidente do júri que galardoou com o Grande Prémio da Novelística da SPE, Luuanda de Luandino Vieira.

As personagens vivem em constante reflexão, quer introspectiva (sobre si mesmas), quer sobre as consequências das suas acções, mas igualmente sobre o contexto histórico. O modo de escrita de Abelaira denota características bastante particulares, nomeadamente: o monólogo, a existência de pensamentos que se intercalam de modo sublime com os diálogos, ou olhares que dialogam. Os olhos de Carlota perguntam-lhe: «Que estavas a pensar?» – «Pensava – responde-lhe Maria Brenda com os olhos – se terias sido fiel ao meu pai todos estes anos.»

A trama da presente obra tem como protagonistas, Brenda, Bernardo e Vasco, todos pertencendo à sociedade urbana, lisboeta, burguesa e culta. Os primeiros casar-se-ão, apesar de Vasco e Brenda ainda sentirem uma proximidade amorosa, correspondem-na na amizade. No entanto o dínamo do livro é o momento histórico: o fim da Monarquia. Vasco e Bernardo apesar de estarem em pontos diferentes da História alimentam uma inquietante compreensão.

Um dos pontos mais interessantes do livro são as incongruências de uma revolução. As revoluções fazem-se com mentiras. A necessidade de animar os correligionários. Porque luta um homem? Um homem luta para ter uma vida decente, (…) Quanto ao mais pouco lhe interessa ser governado pelo rei ou pelo presidente da República. O medo daqueles que têm medo de uma revolução. A busca da justiça não ficará mais cara do que a aceitação da injustiça?

Para além destas personagens destaco os pais de Brenda e o Padre Navas. Que revelarão na obra outros problemas bastante interpelantes.

Abelaira escreve um livro no qual podemos interpretar o fracasso do 5 de Outubro [Implantação da República em 1910. A I República portuguesa, caracteriza-se pela grande instabilidade política, económica e social. Tendo durado apenas dezasseis anos. Sucedendo-lhe a Ditadura Militar, em 1926, que em 1933, originaria o Estado Novo]. Vasco dirá: Não se esqueça que da próxima vez a reacção não nos perdoará. Serão mil vezes mais terríveis que no tempo do João Franco. Referia-se a Salazar?!

Escrito por nunosamelo

Português nascido no Brasil, em 1989. Resido em Cantanhede, Portugal, desde 1992. Tenho sempre livros à cabeceira.