ainda não sabemos  o que pode o corpo
Espinoza

 

como produzir um corpo livre, experimental
com a constante intervenção do estado, da moral religiosa
e de toda uma parafernália ideológica?

não queremos um corpo controlado
não queremos um corpo docilizado
não queremos um corpo educado
não queremos um corpo disciplinado
não queremos um corpo colonizado
não queremos um corpo conformado
não queremos um corpo ordenado
não queremos um corpo estatizado
não queremos um corpo moralizado
não queremos um corpo mediatizado

queremos um corpo bárbaro, bélico, pensante, múltiplo, mutante
um corpo vibrátil, intensivo, fluido, híbrido

“pássaros e leões nos habitam”

um corpo que seja resistência, mas que também seja sopro
um corpo potente, poético, alegre, inventivo
um corpo vivo

Escrito por carla carbatti

Mineira, das montanhas, do mar, de aqui, de acolá, de nenhum lugar. Doutoranda em Estudos da Literatura e da Cultura pela Universidade de Santiago de Compostela. Poeteira com todos os átomos, tem moléculas poéticas espalhadas nas revistas Subversa, Zunái, Germina, Alagunas, Mallarmargens, Diversos Afins, Escritoras Suicidas, Contratiempo, etc., nas antologias ESCRIPTONITA: pop-esia, mitologia-remix& super-heróis de gibi, Antologia RelevO 5 anos, Contemporâneas: antologia poética e no livro autoral, Na Cadência do Caos, editado pela Urutau.