Ensaios para a queda, de Fernanda FaturetoPor Fernanda Fatureto

Lancei meu livro de poesia Ensaios para a queda (Editora Penalux) em outubro de 2017. São poemas que falam da queda humana —  o abismo, a condição falha que conduz a humanidade ao seu limite e também à redenção.

Os poemas foram escritos em um período de dois anos, 2015 e 2016, e contam um processo de questionamentos que eu vinha fazendo sobre o ato de escrever. A queda nada mais é que uma abertura à surpresa e às possibilidades infinitas da linguagem: o poema emerge da escavação interior.

Um livro que mapeia um abismo particular, escavação de fronteiras e uma busca pelas palavras e pelo direito de dizê-las.

Dialogo com autores que permeiam meu imaginário poético tais como Paul Celan; Maria Gabriela Llansol; Daniel Faria – entre outros – em que é possível traçar afinidades.

O prefácio é assinado pelo poeta, escritor e jornalista André Caramuru Aubert. Ele afirma que “alguns poemas me parecem quase um romance em miniatura, um daqueles no qual há um gigantesco cuidado formal com cada palavra, mas que lograsse contar toda uma extensa história em poucas linhas.”

São 74 páginas divididas em três partes: Travessias, Miragem e Polifonia.

Para saber mais sobre o livro: http://site.editorapenalux.com.br/autor/MjM2/Fernanda_Fatureto

Conheça dois poemas do livro:

V

Poderia a existência estar em jogo

No núcleo duro do tempo

Mas a humanidade optou por falar de amor & guerra.

Qualquer garotinho sabe que o herói mata mais

Do que beija a mocinha.

Hoje sonhei com Paris

E então veio a notícia dos tiros,

Pessoas mortas como na guerra de Bastille.

Não se compra paz como pasta dental:

Aqueles sorrisos brancos lembram o sonho de uma família feliz.

Há tanta chama no mundo, baby.

Eu ainda quero me encontrar com você ao redor do Sena.

A tragédia possui o tom mais vibrante

E Celan se jogou do alto.

Uma cidade linda cheira o espectro da morte.

Por que os belos são tão infelizes?

VIII

Do naufrágio que vejo

Disperso em neblinas.

Do úmido frio do tempo.

Levar a cabo a vida

No oceano da memória:


Não há ilha de edição


Que me habite.

Sobre a autora:

Fernanda Fatureto é autora de Ensaios para a queda (Penalux, 2017). Bacharel em jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero. Possui poemas em revistas literárias do Brasil, nas revistas portuguesas Enfermaria 6 e InComunidade e na revista espanhola Cuaderno Ático. Estreou com o livro de poemas Intimidade Inconfessável (Patuá, 2014).

 

 

Escrito por Fernanda Fatureto

Fernanda Fatureto é autora de "Ensaios para a queda" (Penalux, 2017). Seu "Ensaios para a queda" foi eleito um dos melhores livros de 2017 pela revista São Paulo Review e pelo site Letras in.verso e re.verso. Bacharel em jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero. Possui poemas em revistas literárias do Brasil, nas revistas portuguesas Enfermaria 6; Eufeme e InComunidade, na revista espanhola Cuaderno Ático e na revista mexicana El Periódico de las Señoras. Participa das antologias "Damas entre Verdes" (Edições Senhoras Obscenas, 2018); "29 de Abril: o verso da violência"; "Subversa 2" e "Senhoras Obscenas". Estreou com o livro de poemas "Intimidade Inconfessável" (Patuá, 2014). Site: https://fernandafatureto.wordpress.com