Por Fernanda Fatureto

A busca pela poesia é infindável. Ela nos chega pela prática, pelo estudo e pela intuição. Rever os primeiros poemas é olhar para o núcleo que constituiu o(a) poeta. Dos primeiros versos nascem os temas ou podem espelhar o antagonismo dos próximos trabalhos. Para me situar no presente, trago três dos meus primeiros poemas. Nesses quatro anos, muita coisa mudou. Mas permanece a marca nascente dos meus primeiros versos.

Casa

Ela,

sobreviver à casa –

era seu nome.

A casa vazia,

retornar aos irmãos que morreram.

Comunicar-se com eles –

todos em diferentes ângulos,

na casa.

Seres anônimos no mundo,

de onde vem e vão.

O esquecimento torna-se geografia

E os seres dos rios se confundem com barro,

cultivando o lugar do nascimento.

Lá brotariam dos arrozais

à espera

de um nome.

Cultivando o lugar do nascimento,

o lugar da terra:

ali podem ser.

*

 

Ouro do Tempo

Reconhecer o ouro do tempo

Que não há mais saída para a mesmice do agora

Que as fábricas acordam de manhã

Do sonho torpe

Do dinheiro hábil

Que o homem não tem vez na roda da história

Que a natureza passa ao largo dos passos

Apressados

Cambiantes

Reticentes

Que o trabalho não alcança nunca um fim

Em si mesmo;

Apenas passa – o tempo

E não se vê os olhos do poeta

Na contramão de tudo o que for luz.

*

 

Legado

Conversa de olvideiras –

Procuro mulheres na estante.

Clamando baixo em escuta

Sugerem que prossiga pertinente.

Desenhe seu traço reto de palavra,

Não tarde jamais.

Ouça aquilo que cala. No silêncio

desfazem-se os véus da ilusão.

Não tema. Colhe o pouco que lhe resta.

A vida não dá muito aos que dela podem.

Trema ao que lhe consome. Isto será seu sustento.

Ganhará cem anos num verso. Dialogará com o tempo,

Eternidade e ocaso.

Delas depende minha teia.

Da loucura,

Rimas,

clareza.

E o som incessante do ritmo

Desnorteado.

Refaço os passos de tantas outras em mim.

 

*Os três poemas acima fazem parte do livro Intimidade Inconfessável (Patuá, 2014), de Fernanda Fatureto.

**Photo by Artsy Vibes on Unsplash

Escrito por Fernanda Fatureto

Fernanda Fatureto é autora de "Ensaios para a queda" (Penalux, 2017). Seu "Ensaios para a queda" foi eleito um dos melhores livros de 2017 pela revista São Paulo Review e pelo site Letras in.verso e re.verso. Bacharel em jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero. Possui poemas em revistas literárias do Brasil, nas revistas portuguesas Enfermaria 6; Eufeme e InComunidade e na revista espanhola Cuaderno Ático. Participa das antologias "Damas entre Verdes" (Edições Senhoras Obscenas, 2018); "29 de Abril: o verso da violência"; "Subversa 2" e "Senhoras Obscenas". Estreou com o livro de poemas "Intimidade Inconfessável" (Patuá, 2014). Site: https://fernandafatureto.wordpress.com