Quando a manada soltava larga

pela pradaria

e o búfalo não era um búfalo mas

um pistão a mais

castigando firme e duro o maquinário ruge

da terra

os astecas em travessia abaixavam o rosto

e liam o mundo

nas rachaduras paridas

pelo som.

 

O silêncio vertical e liso

deixaria seus adivinhos

em pânico.

Escrito por Arthur Lungov

Arthur Lungov (San Pablo, 1996), es editor de la revista Lavoura y autor del libro de poesía "Luzes fortes, delírios urbanos" (Patuá, 2016). Tiene poemas publicados en blogs, revistas y periódicos literários (O Casulo – Jornal de poesia contemporânea, Revista Raimundo, Revista Gueto, Mallarmargens, etc.). Participó de las antologías "Hiperconexões Vol. 3 - Carbono e silício" (Patuá, 2017) y “Civilização e Barbárie” (Gueto, 2017). Estudia Derecho en la Universidad de San Pablo. Email: albugelli@gmail.com