Quando a manada soltava larga

pela pradaria

e o búfalo não era um búfalo mas

um pistão a mais

castigando firme e duro o maquinário ruge

da terra

os astecas em travessia abaixavam o rosto

e liam o mundo

nas rachaduras paridas

pelo som.

 

O silêncio vertical e liso

deixaria seus adivinhos

em pânico.

Escrito por Arthur Lungov

Arthur Lungov é poeta e editor de poesia da Lavoura, revista de literatura contemporânea. É autor dos livros Luzes fortes, delírios urbanos (Patuá, 2016) e Corpos (inédito). Foi publicado em coletâneas e revistas literárias (mallarmargens, Ruído Manifesto, Raimundo, gueto, O Casulo, Poesia do poeta etc.). Foi curador convidado da Casa Philos na FLIP 2018. Email para contato: albugelli@gmail.com