Pequenas variações sobre a queda

Fernanda Fatureto

 

O território sagrado do seu corpo

Adentrar

O território sagrado do corpo,

Claves em direção ao fetiche

Gozo múltiplo de formas em redondilhas

Curva imperfeita para a esquerda –

manter-se à esquerda é sinal político

De polis

A cidade citiada com o fogo

Calmaria sobre lençóis emaranhados

Poderia ser Sade,

mas é apenas lira sentimental pós-moderna.

Tudo é volátil

Mas o desejo não.

Muda,

Dentro do território sagrado do seu corpo:

I’m always falling up inside your head

O território sagrado do que lhe despedaça a carne.

*

I’m always falling up inside your head:

Acertar o fundo a ferida

Cair um pouco mais

Sentir o peso do corpo

Que pende para o solo.

Queda frágil

Cair

Cair

Cair

O solo detém o que sustém

Passos na direção de um corpo em queda livre

Não desvencilhar-se do desejo

Que range o tremer do solo que o recebe

Um pouco mais fundo:

Dentro e seco

Adentrar

O território sagrado do que lhe despedaça a carne;

Always falling up inside your head.

 

** Imagem: Salto no vazio, de Yves Klein

Escrito por Fernanda Fatureto

Fernanda Fatureto é autora de "Ensaios para a queda" (Penalux, 2017). Seu "Ensaios para a queda" foi eleito um dos melhores livros de 2017 pela revista São Paulo Review e pelo site Letras in.verso e re.verso. Bacharel em jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero. Possui poemas em revistas literárias do Brasil, nas revistas portuguesas Enfermaria 6; Eufeme e InComunidade, na revista espanhola Cuaderno Ático e na revista mexicana El Periódico de las Señoras. Participa das antologias "Damas entre Verdes" (Edições Senhoras Obscenas, 2018); "29 de Abril: o verso da violência"; "Subversa 2" e "Senhoras Obscenas". Estreou com o livro de poemas "Intimidade Inconfessável" (Patuá, 2014). Site: https://fernandafatureto.wordpress.com