Sentimento quase infantil

Alicja Rodzik
Tem gente pequenininha por fora, mas gigante por dentro. Gente que possui um coração gigantesco, que muitas vezes nem cabe dentro do próprio peito.
.
Ai tem gente que faz tão bem a gente trazendo paz para dentro. Gente precisa, exata. Gente que nos completa por existir ali [do outro lado da gente], na vida dispersa a nossa. Gente com ares de anjo de alma leve. Tão leve que voa só de pensar.
.
Ah! Tem gente tão envolvente, mas ainda se dá ao trabalho de nos cativar. Tem gente que exala cheiro de mar. Traz a liberdade estampada no olhar. Gente que nos ensina que sonhar também é uma forma de voar viajar. Uma viagem fascinante que só precisamos plenamente nos entregar.
.
Tem gente tão presente no coração da gente [que parece está sempre bem pertinho sem estar. Gente tão querida que enraíza no espírito e arvorece na gente. Gente de espécie rara, dona de uma amizade não mais encontrada que vale mais joia rara.
.
Gente inexplicável, insomável, única e insubstituível. É, tem gente que carrega a casa de Deus dentro e nem sabe.

Escrito por Nayara Fernandes

Nayara Fernandes (Teresina - PI, 1988) é escritora e poeta brasileira. Autora do livro “Asas de pedra” (Selo Edith, 2017). Tem poemas publicados em diversas revistas literárias no Brasil como Alagunas, Mallarmargens, Acrobata, Germina, Diversos Afins, Escritoras Suicidas e The São Paulo Times. Além dos sites LiteraturaBR e Livre Opinião - ideias em debate. Participou da coletânea Quebras - uma viagem literária pelo Brasil (Selo Edith , 2015). Ousada, sistemática e inquieta escreve em "Eu tenho asas de pedra" nayarafernandes.wordpress.com.
A %d blogueros les gusta esto: